Buscar
  • ACIERJ - COMUNICAÇÃO

Acierj quer incentivar mercado de vídeos games em Niterói

Associação quer abrir novos mercados e oportunidades para jovens niteroienses


A Associação Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro, de olho no mercado de vídeo games na cidade de Niterói, vai implementar a virada de chave tecnológica, incentivar o segmentos e dar oportunidades profissionais. Para abrir um leque de opções e buscar propostas que possam ser implementadas aos niteroienses o vice-presidente da Acierj, Igor Baldez, visitou a sede da RioGamer no Ed Novocais do Porto em Santo Cristo. A ideia é buscar parcerias que possam incentivar jovens e até mesmo adultos a buscarem crescimento para ingressarem num mercado que está cada vez mais em alta .


“Esse é um mercado com crescimento robusto e Niterói parte na frente em se apropriar desse novo horizonte, estruturando-se para se tornar um grande centro de inovação e exportação de serviços nessa indústria. A exportação de serviços com alto valor agregado, trará sustentabilidade a economia da cidade criando um centro de atração para investidores, altos executivos, empresas de tecnologia, academia e demais atores dessa indústria. Por outro lado abre um leque de opções para jovens de várias camadas sociais”,

comentou Igor Baldez.


Segundo ele, o mercado de games mundial vai ultrapassar a barreira dos US$350 Bi até 2025, se sobrepondo as indústrias de filmes, músicas e shows combinados. Conforme as informações, somente no Brasil as indústrias de Jogos e Esportes Eletrônicos irão gerar um resultado superior a US$3.3Bi e mais de 50 novas profissões ligadas a indústria de games já estão no mercado sem que haja uma estrutura acadêmica formal de suporte a essa formação. As “profissões tradicionais” tendem a perder cada vez mais espaço para essa nova realidade.


Para os interessados, a RioGamer lançou o projeto #CódigoBrazuca que aborda a temática de transformar a vida de jovens estudantes através de um curso de capacitação em desenvolvimento de Jogos Eletrônicos.

“Dada a enorme carência no mercado desses profissionais, acreditamos que em 10 meses eles estarão prontos para serem inseridos no mercado de trabalho como devs trainees (jovem aprendiz)”,

afirmou Paulo Espanha, diretor presidente da RioGamer.


Ele disse que os mais destacados terão duas opções: "O de integrar nosso Studio Lab RioGamer, um software house de desenvolvimento de sistemas, capaz de atender startups de games e estúdios estrangeiros em forma de outsourcing ou serão convidados a participar do nosso Programa de Pré-aceleração para tirarem do papel suas ideias e criarem seus próprios estúdios de games", ressaltou Espanha.



"Niterói parte na frente para se apropriar desse novo espaço, estruturando-se para se tornar um grande centro de inovação e exportação de serviços nessa indústria. A exportação de serviços com alto valor agregado trará sustentabilidade à economia da cidade criando um centro de atração para investidores, altos executivos, empresas de tecnologia, academia e demais atores dessa indústria",

prevê Igor Baldez.

8 visualizações0 comentário